CAD/TQS - Software para o projeto de estruturas

CAD/TQS - Software para o projeto de estruturas
Software para o projeto de estruturas de concreto, alvenaria estrutural e pré-moldados.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

TQS - 3º Seminário BIM - SindusconSP - 18/10/2012

 
18 de outubro de 2012
8h às 18h15

As condições do cenário da construção civil no Brasil, nos últimos  anos, têm levado as empresas do setor a uma busca obrigatória por inovações em tecnologia e processos, uma vez que a complexidade dos empreendimentos, o valor dos investimentos, a velocidade de produção e a escassez de profissionais qualificados constituem riscos reais que podem ter consequências diversas, expressas em perdas tangíveis e intangíveis.
Nesse contexto, reconhecendo sua importância estratégica, as grandes empresas do setor já iniciaram a implementação do conceito BIM que, paulatinamente, vem se disseminando por toda a cadeia produtiva. Vencidos alguns entraves iniciais os processos de implantação, dentro dos escritórios de projetos, construtoras e incorporadores, vem ocorrendo, e tem suscitado o interesse das empresas que ainda não optaram por esta tecnologia .
Este seminário proporcionará uma oportunidade para debater os processos de implantação em Cases de Construtoras nacionais e internacionais, a apresentação dos procedimentos para planejamento e execução de projetos BIM elaborados pela PENNSTATE University e experiências de profissionais que têm vivido as dificuldades na implantação do processo no Brasil.
O evento apresentará também a visão de profissionais internacionais com vivência, tanto acadêmica quanto de mercado, relativa às tendências de médio e longo prazo neste campo,  bem como sua experiência na implantação do BIM em escritórios de projeto e construtoras.
Cases de destaque mostrarão o que de mais avançado tem sido feito pelo mercado nacional em obras com a Modelagem da Informação da Construção.
Há um papel de cada membro da cadeia produtiva de edifícios para a implantação do BIM no Brasil, envolvendo não só as empresas incorporadoras e construtoras, empresas de projeto, mas também fabricantes de materiais e componentes, empresas contratantes de serviços de engenharia e construção e gerenciadoras. A cooperação e colaboração de todos os agentes envolvidos minimizará perdas, ao longo de todo o ciclo de vida da edificação, para todos os envolvidos.
Participe deste seminário para ter a visão completa deste processo de trabalho que integra as informações de projeto, orçamento, planejamento, produção e até da operação e manutenção do edifício, enxergando as ações necessárias para a implantação do processo BIM e o papel de cada agente nesta implantação.

Público-alvo
Diretores, gerentes, engenheiros e arquitetos de empresas de projeto, incorporadoras, construtoras, gerenciadoras, acadêmicos, professores, pesquisadores, fabricantes de materiais, componentes e sistemas construtivos e de empresas contratantes de serviços de engenharia e construção.
Local
Teatro do Renaissance São Paulo Hotel
Alameda Jaú, 1620 – São Paulo/SP
Estacionamento no local

Investimento
Associadas SindusCon-SP: R$ 300,00
Não associadas: R$ 400,00
Estudantes, professores e pesquisadores: R$ 200,00

Estacionamento e almoços inclusos
Informações e inscrições
(11) 3334-5600 opção 4, caa@sindusconsp.com.br


Cancelamentos serão aceitos somente 72h antes da data de
realização do evento, para que não haja a cobrança da inscrição. 



 

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Curso Padrão v17 :: WebTQSCurso :: Inicio 24/09/2012

Curso Padrão v17 :: WebTQSCurso

Um WebTQSCurso consiste num conjunto de WebTQSAulas ministradas de forma sequencial.
Data e Horário
Segunda, 24 Setembro 2012, 16:00 - 17:00
Quarta, 26 Setembro 2012
Segunda, 1 Outubro 2012
Quarta, 3 Outubro 2012
Sexta, 5 Outubro 2012
Segunda, 8 Outubro 2012
Quarta, 10 Outubro 2012
Sexta, 12 Outubro 2012
Nível: Básico

Objetivos

Dar uma visão geral dos sistemas, explicar o funcionamento dos principais menus, apresentar diversos fluxogramas gerais de operação e fornecer explicações detalhadas de cada sub-sistema (vigas, pilares, lajes, pórtico, grelha etc.).
Ele está todo baseado em exemplos de edifícios reais e a apresentação é composta por slides explicativos e comentados, acompanhados da operação real do sistema.
Com o material distribuído o usuário poderá reproduzir as aulas no seu próprio escritório.

Conteúdo

Aula 1
  • Introdução;
  • Concepção Estrutural (elementos inclinados e escadas);
Aula 2
  • Concepção Estrutural (Definição de Dados de Elementos Inclinados e Escadas);
Aula 3
  • Ações e Modelos, inclusive o Modelo VI;
  • Esforços e Análise Estrutural ELU;
Aula 4
  • Estabilidade global;
  • Verificação e Desempenho Estados Limites em Serviço;
Aula 5
  • Vigas – Dimensionamento e Detalhamento de Vigas Contínuas;
Aula 6
  • Pilares – Dimensionamento e Detalhamento de Pilares Retangulares, Seções Quaisquer e Pilares-parede;
Aula 7
  • Lajes – Dimensionamento e Detalhamento de Lajes Convencionais, Nervuradas e Treliçadas;
Aula 8
  • Fundações – Dimensionamento e Detalhamento de Elementos de Fundações: Sapatas e Blocos;
  • Edição de Plantas e Plotagem.
Carga horária total: 8h

Para mais informações, acesse: http://www.tqs.com.br/cursos-e-treinamento

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

TQS - 54° Congresso Brasileiro do Concreto - Inscrições Abertas



Faça sua inscrição antecipadamente com comodidade e segurança
Para facilitar a participação dos congressistas neste ano, as inscrições on-line no 54º Congresso Brasileiro do Concreto, evento técnico-científico sobre o concreto e seus sistemas construtivos, passam a ser feitas exclusivamente pelo sistema PagSeguro, que oferece diversas modalidades de pagamento e a segurança dos dados financeiros repassados no momento da inscrição.
Usado pela maioria dos sites de e-commerce, o PagSeguro oferece as opções para pagamento das inscrições por cartões de crédito e débito, transferência bancárias e boleto bancário. É mais uma facilidade ao congressista, que poderá fazer sua inscrição antecipadamente sem sair de casa. Data limite improrrogável 17 de setembro de 2012.
Não perca tempo! Faça ainda hoje sua inscrição, aproveitando os preços promocionais para as inscrições antecipadas on-line. No local do evento os valores serão bem menos convenientes.
CATEGORIA Valores (R$) Valores (R$)
Até 17/09/2012 No Congresso
SÓCIO INDIVIDUAL R$ 850,00 R$ 1.100,00
NÃO SÓCIO INDIVIDUAL R$ 1.100,00 R$ 1.400,00
SÓCIO ESTUDANTE GRADUAÇÃO R$ 500,00 R$ 650,00
NÃO SÓCIO ESTUDANTE DE GRADUAÇÃO R$ 600,00 R$ 750,00
ESTUDANTE SÓCIO PÓS- GRADUAÇÃO R$ 650,00 R$ 800,00
ESTUDANTE NÃO SÓCIO PÓS-GRADUAÇÃO R$ 800,00 R$ 1.000,00
Estão incluídos no valor da inscrição:
• Pasta com o material e os anais em CD do 54º Congresso Brasileiro do Concreto;

• Participação nas Sessões Plenárias, Pôsteres, Técnico-comerciais, Concursos Técnicos e palestras de especialistas estrangeiros;

• Participação nos eventos paralelos;

• Solenidades de Abertura e Encerramento do Congresso;

• Cafés nos intervalos das sessões plenárias;

• Coquetel de Abertura;

• Jantar de Confraternização do 54º Congresso Brasileiro do Concreto;

• Participação na Assembléia Geral para os sócios do IBRACON;

• Participação na VIII FEIBRACON – Feira Brasileira das Construções em Concreto
ALERTA : Somente estará inscrito quem receber dois emails: um avisando que seus dados para a inscrição no Congresso foram enviados com sucesso; e outro confirmando o pagamento da inscrição.
O evento é aberto aos profissionais, pesquisadores, empresários e estudantes que queiram aprender mais, discutir e se atualizar sobre as pesquisas científicas e tecnológicas sobre o concreto e as estruturas de concreto, bem como as inovações e as melhores práticas em projeto, execução, controle de qualidade, recuperação e normalização. O número de trabalhos técnicos inscrito bateu novamente o recorde histórico, venha conhecê-los.
O 54º Congresso Brasileiro do Concreto vai acontecer no Centro de Convenção e Exposição Ruth Cardoso, em Maceió, Alagoas, de 08 a 11 de outubro.
Não perca a chance de se atualizar! Aproveite os preços promocionais antecipando-se.
Site: www.ibracon.org.br
Facebook: ibraconOffice
Twitter: @ibraconOffice


Power by Arte Interativa

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

ABECE, Unochapecó e TQS promovem, em Santa Catarina, curso de pós-graduação em Projeto de Estruturas

ABECE, Unochapecó e TQS promovem, em Santa Catarina, curso de pós-graduação em Projeto de Estruturas de Concreto para Edifícios - Agosto/2012

Com o objetivo de ampliar a formação de profissionais qualificados para projetar estruturas de concreto para edifícios, garantindo qualidade e segurança às obras, o curso de pós-graduação lato sensu Projeto de Estruturas de Concreto para Edifícios será oferecido em Santa Catarina.
Promovido pela ABECE, em parceria com a Unochapecó (Universidade Comunitária da Região de Chapecó) e com a TQS Informática, o curso está com inscrições abertas até o dia 10 de setembro de 2012.
Seu programa foi totalmente planejado para introduzir e aplicar as técnicas modernas de concepção estrutural, de dimensionamento, de verificação e de detalhamento preconizadas pela recente atualização das normas técnicas envolvidas.
Com carga horária de 600 horas/aula, o curso tem início previsto para outubro de 2012 e término em outubro de 2013, com entrega de conclusão de curso em outubro de 2014. As aulas serão realizadas no campus Chapecó, que fica na Av. Senador Atílio Fontana, 591-E - Efapi - Chapecó – SC.
Reconhecidos profissionais pertencentes aos quadros das três instituições compõem o corpo docente do curso, cuja coordenação está a cargo do Prof. Roberto Carlos Pavan.
Outras informações sobre o curso e inscrições podem ser consultadas no endereço http://www.unochapeco.edu.br/concretos

sexta-feira, 1 de junho de 2012

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Programação - Curso Padrão TQS - 2012


Técnico Padrão - Sistemas CAD/TQS

TQS


Padrão - CAD/TQS - Programação


Objetivos - CAD/TQS



Dar uma visão geral dos sistemas, explicar o funcionamento dos principais menus, apresentar diversos fluxogramas gerais de operação e fornecer explicações detalhadas de cada sub-sistema (vigas, pilares, lajes, pórtico, grelha etc.).






Ele está todo baseado em exemplos de edifícios reais e a apresentação é composta por slides explicativos e comentados, acompanhados da operação real do sistema.






Com o material distribuído o usuário poderá reproduzir as aulas no seu próprio escritório.


Conteúdo - CAD/TQS



  • Introdução;
  • Concepção Estrutural;
  • Modelos Estruturais;
  • Estados Limites em Serviço;
  • Esforços;
  • Estabilidade Global;
  • Vigas;
  • Lajes;
  • Pilares;
  • Plotagem;
  • Fundações;
  • Incêndio.

Inscrições

Número mínimo de inscrições: 12 pessoas.



Prazo: até duas semanas antes.



Não havendo o número mínimo de inscritos, o evento poderá ser transferido para outra data.



Os prazos e preços acima serão rigorosamente obedecidos.


Observação: Somente o instrutor irá operar o



computador.




Próximas Turmas



São Paulo – Dias : 29 e 30/06/2012

Recife  – Dias: 06 e 07/07/2012

Brasília  – Dias: 13 e 14/07/2012

Belo Horizonte – Dias: 20 e 21/07/2012

Rio de Janeiro – Dias: 27 e 28/07/2012

Porto Alegre – Dias: 30 e 31/07/2012

Cuiabá  – Dias: 10 e 11/08/2012

Belém – Dias: 17 e 18/08/2012

São Paulo – Dias: 24 e 25/08/2012

Florianópolis – Dias:14 e 15/09/2012

Salvador – Dias:21 e 22/09/2012

Ribeirão Preto – Dias: 28 e 29/09/2012

Curitiba – Dias: 19 e 20/10/2012

Fortaleza – Dias: 09 e 10/11/2012

Goiânia – Dias: 23 e 24/11/2012


São Paulo – Dias: 30/11  e 1/12/2012
Horário: das 8:30 às 18:30 hrs
Instrutor: equipe técnica TQS
Investimento - CAD/TQS
Profissionais

Até uma semana antes: (20%)

R$476,00 (primeira inscrição)

R$360,00 (demais da mesma empresa)

Menos de uma semana: (normal)

R$595,00 (primeira inscrição)

R$450,00 (demais da mesma empresa)

Associados Abece

Até uma semana antes: (20%)

R$428,00 (primeira inscrição)

R$324,00 (demais da mesma empresa)

Menos de uma semana: (normal)

R$535,00 (primeira inscrição)

R$405,00 (demais da mesma empresa)

Acadêmicos (professores e pós-graduandos)

Até uma semana antes: (20%)

R$236,00

Menos de uma semana: (normal)

R$295,00
Informações

Telefone: (11) 3883 2722

Liliane ou Luana

eventos@tqs.com.br

Inscrições

Online







quarta-feira, 16 de maio de 2012

Novos Modelos Estruturais para Concreto Armado: Da Viga Continua ao Pórtico Espacial. 27/08/2002



Novos Modelos Estruturais para Concreto Armado: Da Viga Continua ao Pórtico Espacial. Palestra organizada pela Divisão de Estruturas do Instituto de Engenharia de São Paulo em 27 de agosto de 2002. Expositores: Nelson Covas, Alio Kimura e Luiz Aurélio F. da Silva. TQS Informática Ltda.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

CAD/TQS 17 - Mais intuitivo, produtivo, refinado e com mobilidade

Mais intuitivo, produtivo, refinado e com mobilidade.

Confira as principais novidades da nova e mais completa versão do CAD/TQS:

Controle de Desenhos

Desenhos modificados, verificados e fora do projeto, são identificados durante a plotagem, reprocessamento e limpeza de arquivos.

Efeito Incremental

Análise de pórtico espacial com a simulação de efeitos gerados pela construção sequencial dos pisos e variação do módulo de elasticidade do concreto.

CAD/Alvest

Novas normas de alvenaria estrutural, modelagem por pórtico espacial, cercas automáticas, dimensionamento de paredes à flexão composta oblíqua, cálculo completo de lintéis e vergas, compatibilidade com o TQS Desktop, entre outros.

Novo Visualizador 3D

Nova interface com painéis com lista de objetos e propriedades, atalhos para editores e visualização especial de elementos de acordo fck, carga e taxa.

Memorial Descritivo

Geração de memorial descritivo e de cálculo compatível com o MS-Word®, lista de figuras capturadas de forma interativa.

Visualização em Dispositivos Móveis

Visualização de todos os desenhos de um projeto em tablets e smartphones.

Pilar que Nasce em Laje

Análise refinada, dimensionamento, detalhamento e desenho de pilar que nasce em laje. Dimensionamento da laje à punção.

Vento Dinâmico

Análise refinada do conforto humano perante rajadas de vento.

TQS Desktop

Nova área de trabalho no Gerenciador com visualização em miniaturas, avisos e facilidades na seleção de desenhos.

Blocos de Fundações

Novos blocos com até 24 estacas, nova formulação para blocos com mais de 6 estacas.

Gerenciador de Penas e Plotagem

Configuração de cores e espessuras de plotagem dos principais desenhos de forma mais intuitiva.

Conversor de Figura para DXF

Conversão de figuras (BMP, JPG) em formato vetorial (DWG-TQS, DXF).

Seleção de Elementos na Fôrma

Seleção gráfica de pilares e vigas na planta de fôrma nos principais editores e no TQS Desktop.

Vigas Mistas

Verificação detalhada de vigas mistas de concreto e aço.
Já possui o CAD/TQS? Atualize sua versão.
Adquira já
Se você deseja receber uma proposta para adquirir ou atualizar seus sistemas CAD/TQS, entre em contato conosco: comercial@tqs.com.br ou cida@tqs.com.br, ou ligue para 11 3883 2722.
Siga-nos: Twitter | Facebook
Copyright © 2012 TQS Informática Ltda.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Sobre preços de projeto

Texto originalmente postado na ComunidadeTQS no dia 24/02/2012.

Como disse o colega Dácio Carvalho, é difícil não ficar sem opinar neste tão importante assunto que é o valor do projeto estrutural. Embora minha atividade corriqueira não é a de elaborar propostas de projetos estruturais, convivo há muito tempo com o problema através do contato com centenas de clientes por todo o Brasil. Em épocas de "vacas magras" do mercado, eu sou uma espécie de confessor dos meus amigos que não tiveram a proposta comercial vitoriosa e tentam encontrar uma explicação lógica para o fato. Vou citar alguns pontos que estão acontecendo no mercado, conforme meu entendimento, depois de pensar no assunto por décadas:
a)Transferência dos benefícios da informatização
Ao longo destes últimos 20 anos a nossa engenharia estrutural sofreu uma radical transformação com o uso intensivo de softwares e poderosos computadores. É inegável observar que uma empresa de projetos tem uma produtividade muito maior hoje do que há 20 anos. Eu diria que, no mínimo, o prazo e o custo para se elaborar um projeto estrutural foi reduzido pela metade. O que aconteceu nestas últimas décadas, sem querer me alongar muito em explicações, foi que boa parte do benefício conseguido com a maior produtividade e a consequente redução de custos na elaboração de projetos, foi transferida para os contratantes através da concorrência entre os colegas. Este é um sério problema, pois a responsabilidade técnica pelo trabalho realizado continua sendo integralmente do projetista.
b)Custo do Projeto e Lucro
Um fator quase que sem importância, mas que é uma política que afeta o preço do projeto é o seguinte. Antigamente, para realizar uma mesma tarefa do projeto estrutural a empresa possuía um custo mais elevado, geralmente com uma equipe composta por desenhistas e projetistas além, óbvio, dos engenheiros. Era comum uma empresa de projetos ter 30, 40, 50 colaboradores trabalhando mesmo sem um número elevado de projetos em andamento. Hoje as equipes são muito mais reduzidas em termos de pessoas e custos. Eu já acompanhei, em diversos casos, a composição de preços de projeto na década de 70. Estimava-se o custo e aplicava-se um % de “lucro” da ordem de 30 a 50%. Como o custo era elevado devido ao número de participantes no projeto, o “lucro” também atingia um valor absoluto significativo. Bem, na prática, este lucro estipulado quase nunca acontecia. Hoje em dia os custos são menores, fazendo este mesmo raciocínio o valor absoluto do “lucro” é bem menor, da ordem da metade do anterior. Este parece um raciocínio muito simplista, mas tenho acompanhado inúmeros casos para testemunhar o fato.
c)Porque o contratante prefere o menor preço
Um colega nosso, diretor da ABECE, fez uma importante observação que reproduzo aqui: “Para o construtor/contratante, tanto faz pagar pelo projeto estrutural um valor de R$10,00 ou R$ 20,00 /m2, isto não vai afetar em nada o custo total dele. O que ele não se conforma é pagar um valor de R$ 20,00 se ele pode contratar um serviço semelhante por R$ 10,00”. Será que isto também não acontece conosco? Será que nós pagamos por um produto mais caro em um estabelecimento, sabendo que temos ou outro mais barato, sem se preocupar com o preço? Será que quando vamos contratar um serviço de manutenção na nossa residência nós vamos pagar mais caro sabendo que outro profissional tem preço mais barato? Nós também queremos o menor preço, é óbvio, todos nós querem os menores preços. O que todos os colegas podem alegar é que no projeto estrutural o caso é diferente, o produto não é o mesmo se contratado por 10,00 ou por 20,00. Como muitos contratantes não possuem esta percepção, esta é uma das principais funções das nossas Associações de classe, especialmente a ABECE, isto é, mostrar aos contratantes do projeto estrutural os diferentes produtos que ele pode receber, e como mensurá-los, quando é feita apenas uma concorrência de preços predatória. Cabe aqui registrar que a ABECE tem feito bem este trabalho.
d)A Ética na formalização contratual de projetos estruturais
Todos nós devemos procurar respeitar os princípios éticos da nossa profissão e, além disso, os princípios éticos morais, profissionais, pessoais, comerciais, etc. Não quero aqui discutir a fundo a ética na contratação de projetos, mas ao longo da minha experiência profissional eu gostaria apenas de comentar um aspecto sobre ética, depois de ter contato com inúmeros casos de violação de alguns princípios éticos. Nós, e eu também me incluo neste caso, temos uma enorme dificuldade de enxergar os problema éticos quando estamos diretamente envolvidos no problema comercial. Eu já vi colegas muito próximos invadindo alguns princípios éticos comerciais quando uma determinada ação é favorável à sua empresa. A visão da ética é, muitas vezes, muito diferente de um colega para o outro, de uma situação para a outra. Sempre ouço de colegas, o meu caso era diferente!. É muito fácil enxergar o problema ético nos outros colegas, mas é muito difícil enxergar este mesmo problema quando estamos diretamente envolvidos na questão. Isto não é crítica a ninguém, eu também me incluo neste rol de profissionais. Eu cheguei à seguinte conclusão, quando estiver envolvido num problema ético, é melhor perguntar a um amigo o que ele acha da questão. Quem está fora enxerga muito melhor do quem está dentro do problema. Louvo aqui um profissional exemplar, também sob os princípios éticos, que é o prof. Augusto C. Vasconcelos. Recentemente ele me deu uma verdadeira aula neste aspecto com um exemplo trivial que é o de renovar a certidão de habilitação para dirigir veículos.
e)A polêmica e atraente comissão de 6% do corretor
Eu sempre digo aos meus amigos que, quando me aposentar, vou ser corretor de imóveis e ganhar os 5 ou 6% sobre a venda de um imóvel sem muita responsabilidade. Eu já me envolvi levemente com este aspecto na década de 80 e percebi que existem outras nuances sobre o assunto. Há questão de um mês, esteve aqui visitando a empresa um amigo de faculdade de engenharia do meu filho, formado na Escola de Engenharia do Mackenzie. Esta pessoa é extremamente comunicativa e experiente em vendas. Atualmente ele é gerente de vendas de uma grande construtora de São Paulo coordenando dezenas de corretores. Fiz esta pergunta dos 6% para ele e a história é um pouco diferente. Ele comentou que é preciso também pagar por propaganda e publicidade, assessoria jurídica, gerentes, diretores, etc, etc, etc. Há também uma fortíssima concorrência entre os corretores. Existem responsabilidades jurídicas e metas a cumprir com direitos e obrigações bastante severas. Segundo ele, não é de forma alguma aconselhável um engenheiro civil estrutural, uma das mais nobres especialidades, largar a profissão e tentar ser corretor de imóveis. Eu tenho uma experiência prática recente, quando adquiri um imóvel aqui em SP, há uns 3 anos, o corretor de plantão (eram dois, um cobria o horário do outro) recebeu 2% do valor, segundo informações seguras da imobiliária que fechou o negócio. Portanto, mais uma vez, eu cheguei a mesma conclusão de sempre: o melhor negócio é o negócio do outro, pois não conhecemos devidamente todas as variáveis do negócio, favoráveis e desfavoráveis.
f)O irresistível consumo de materiais do projeto estrutural
Tenho visto muito um argumento irresistível para que o contratante opte por uma determinada empresa de projetos estruturais: o consumo de materiais, a famosa espessura média e a taxa de armadura. Este argumento é um argumento fundamental para a penetração de um novo fornecedor de projetos estruturais numa determinada empresa. Aliás, falando de passagem, um amigo de Belém do Pará que já projetou para uma determinada empresa que teve, infelizmente, um grave acidente com um edifício elevado, disse para mim que ouviu a seguinte frase do referido construtor: “desta forma como você projeta, com tanto consumo de armaduras, eu vou chegar à falência!”. Bem, com pouca armadura também temos problemas sérios. Este atrativo para a redução do consumo de materiais é encontrado por todo o Brasil, desde São Paulo como em todas as outras capitais. Algumas cidades do litoral brasileiro são campeãs neste quesito. Lembro-me agora que eu já ministrei uma palestra, a mais incisiva que já fiz, sobre este mesmo assunto há uns 7 anos em Belém. Parece que alguns não entenderam bem a questão.
g)E o software? Como fica?
Sendo fundador e sócio de uma empresa fornecedora de software, este assunto também não poderia deixar de ser citado. Durante muitos anos eu relutei em fazer uma constatação óbvia, atualmente eu estou mais convicto: o Brasil é um país onde existem softwares para engenharia estrutural de concreto armado dos mais avançados do mundo. Não falo apenas pela TQS, mas por alguns outros fornecedores de software também, sempre competentes e sérios. Quero destacar alguns pontos básicos sobre software:
- Software não faz projeto de forma automática, é apenas uma ferramenta, mais ou menos completa. Nenhum software é perfeito e todos possuem falhas e erros.
- A produtividade da empresa está diretamente ligada ao seu grau de informatização, ao grau de conhecimento de seus técnicos sobre o software em uso e às suas funções.
- As empresas, com a produtividade e a qualidade do software sendo um quesito fundamental, deveriam recorrer sempre aos melhores softwares do mercado, tanto em qualidade como em produtividade e em suporte técnico.
Baseado nos pontos acima, eu que tenho contato quase que diariamente com empresas de projeto estrutural tratando do assunto software percebo algumas afirmações que não consigo entender:
- O software é caro!. Quanto de desconto eu vou receber nesta proposta? Não quero aqui ficar fazendo a apologia de software, mas para uma atividade que depende essencialmente de um software para produzir, o preço é muito relativo. Lembro-me agora também que há 26 anos fomos vender um software para aproveitamento de corte de tecidos para uma grande empresa nacional de confecções. Estávamos, para dizer a verdade, com um pouco de vergonha de propor um preço maior pelo software, o diretor da empresa percebeu a nossa hesitação e disse: “se o seu software funcionar bem na nossa empresa, qualquer preço cobrado será muito barato, mas se o seu software não for aproveitado, qualquer preço cobrado é muito caro”. Isto ficou na minha mente e sempre me pergunto: estamos fornecendo um software de estrutural que, realmente, funciona para o nosso cliente? Se sim, o preço sempre pode ser considerado barato.
- Forma de emprego do software. Diversas empresas tentaram, ao longo de décadas, montar uma espécie de “fábrica de projetos”. Já tivermos oportunidade de enfrentar esta concorrência ao longo de inúmeras cidades pelo interior do Brasil, quase todas sem sucesso pois o software empregado na época não tinha uma qualidade técnica desejável. Agora, nestes últimos dois anos, começaram a aparecer poucas empresas com metodologias muito avançadas e inovadoras, completamente informatizadas, para a elaboração de projetos estruturais. Grandes modificações estão por vir. Colegas, preparem-se, isto já está influindo e vai se acentuar logo mais nos preços dos projetos.
- Noto que muitas empresas que utilizam o software TQS estão em versões antigas. Para estes colegas eu quero transmitir uma mensagem: a cada ano o software TQS evolui muito, tanto em qualidade como em produtividade. É muito importante estar com a versão mais recente para ter iguais condições de competitividade. Se o software é um dos importantes itens para a produtividade e concorrência no mercado, nada justifica trabalhar com uma versão do software de anos atrás. Vou também citar aqui um exemplo, entre diversos, do nosso colega de Manaus e ativo na ComunidadeTQS, José Artur Linhares, que possui mais que uma cópia do software TQS embora trabalhe sozinho e sempre atualiza o TQS prontamente assim que a versão é liberada.
Comento aqui do software TQS, trabalho que temos desenvolvido nos últimos 30 anos, mas eu não tenho muitas dúvidas sobre a fidelidade dos nossos clientes. Se surgir no mercado um novo software para concreto armado, mais completo, mais produtivo e de maior qualidade, todos os nossos clientes vão migrar para este software fatalmente. É a lei de mercado. Nós vamos desenvolver outra atividade e pronto.
h)Uma saída visível e possível: a qualidade do projeto estrutural
Também sempre comento que para um fornecedor penetrar no mercado de outra grande empresa, que já possui seus parceiros, a melhor solução é oferecer um menor preço. Esta é uma regra de mercado impossível de ser quebrada. Junte-se a este menor preço uma menor quantidade de concreto e armadura, a proposta fica, então, irresistível.
Um amigo meu disse certa vez: se eu tiver uma situação financeira definida e satisfatória e se o meu maior prazer é desenvolver projetos estruturais, nada me impede de elaborar projetos a um preço ínfimo. E pronto!. Também concordo. Nada poderá deter a atitude do colega. Este caso extremo pode ocorrer, mas eu não conheci ninguém até hoje com este espírito.
O que eu acho, sinceramente, é que cada empresa de projetos estruturais pode cobrar um preço mais atrativo dependendo da condição de fornecimento (volume, relacionamento, segurança no pagamento, facilidade de comunicação, etc, etc) mas de um ponto fundamental ela não pode abdicar: a qualidade do projeto apresentado. Não interessa o preço ofertado, o projeto tem que estar de acordo com as normas técnicas, bem apresentado, elaborado nos prazos, etc. No meu ponto de vista este é o grande segredo para tentar disciplinar a concorrência de projetos que, em algumas capitais, anda desenfreada. Portanto, o que eu gostaria de sugerir, é a providência que eu luto por, no mínimo, uns 30 anos, que é o estabelecimento regular de uma certificação da qualidade de projetos (CQP). Com esta providência, posso assegurar com pouca margem de erro, que resolveremos 80% dos problemas de concorrência desleal de projetos estruturais pelo Brasil. Estabelecer o CQP regulatório da qualidade de projetos estruturais depende apenas de nós, engenheiros envolvidos no processo, tanto engenheiros estruturais, construtores, professores, associações de classe, etc. Alguma ação já está sendo tomada pela ABECE, felizmente.
Nelson Covas
TQS Informática Ltda.